Relator confirma “termo de consentimento” para brasileiros que queiram tomar vacina contra a covid

O deputado Geninho Zuliani (DEM-SP), relator da medida provisória que autoriza o governo federal a integrar a aliança global de vacinas contra covid-19, disse hoje que deve incluir o chamado “termo de consentimento informado” em seu parecer, e que deverá ser assinado por quem toma a vacina autorizada em caráter emergencial ou definitivo contra covid-19. O paciente deve dizer estar ciente dos riscos e dos possíveis efeitos colaterais causados pelo imunizante, disse o deputado.

 

“Não dá para a União assumir esse passivo ao longo das próximas décadas, de tudo aquilo que eventualmente uma vacina pode trazer de efeito colateral. Então será construído um termo de consentimento informado para cada pessoa que quiser tomar a vacina”, disse o deputado. Ontem (14) o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) havia defendido a proposta.

 

“O contrato da Pfizer tem uma cláusula que tira responsabilidade do laboratório para eventuais efeitos colaterais no futuro, e o presidente quer repassar isso de forma segura, clara, transparente a todos que receberem a vacina”, complementou o deputado que disse que o presidente sustentou, em uma reunião que tiveram, que o governo comprará todas as vacinas aprovadas pela Anvisa, “incluindo a Coronavac”, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo.

foto: GOVESP

Compartilhar agora
X