Covid: paulistas serão imunizados em janeiro; ex-presidente da Anvisa critica governo federal por propor vacinação em março

Os paulistas serão vacinados contra a covid-19 em janeiro com a CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, garantiu o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), nesta quinta-feira (3). A vacina, que ainda está na terceira fase de teste, precisa ainda ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O governo diz que o relatório final deve ser enviado ao órgão ainda em dezembro e que não deve ser necessário solicitar o uso emergencial da vacina.

 

“Em São Paulo, de forma responsável, seguindo a lei, no próximo mês de janeiro, cumprindo o protocolo com a Anvisa e obedecendo aos princípios de proteção à vida, nós vamos iniciar a imunização dos brasileiros de São Paulo. Não vamos aguardar março”, disse Doria ao criticar o anúncio feito pelo governo federal de que o calendário de vacinação nacional deve começar em março de 2021. Na segunda-feira (7) um programa estadual de imunização deverá ser apresentado, disse Dória.

 

Hoje, o ex-presidente da Anvisa publicou um artigo para o jornal O Estado de S. Paulo onde também critica a atuação do Ministério da Saúde em meio à pandemia. ““O plano de vacinação que parte da existência de uma única vacina é de um cartorialismo criminoso. […] Propor que iniciemos a vacinação em março e que no máximo alcancemos um terço da população em 2021 significa não realizar nenhum mínimo esforço de tentar oferecer alternativas à população. É uma pública capitulação. É um crime”, afirmou.

Compartilhar agora
X