Bahia deve iniciar testes da vacina russa com 500 voluntários em um mês

A Bahia assinou nesta terça (8) um acordo de confidencialidade para ter acesso a dados científicos da vacina Sputnik V, desenvolvida pela Rússia contra a covid-19. Com isso, o Estado deverá iniciar os testes com 500 pacientes dentro de um mês. Segundo Fábio Vilas-Boas, titular da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), antes de ser iniciada a fase de comprovação de eficácia das doses, o protocolo russo de vacinação vai ser submetido a análise do Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Couto Maia e, na sequência, a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa, em Brasília.

 

Caso seja comprovada a eficácia, o estado será responsável por comercializar as vacinas em território nacional por meio da Bahiafarma. O secretário disse que é “muito cedo para dizer quem serão os primeiros a receber a vacina” já que o Estado não possui dados do protocolo, mas disse acreditar que não vai ser diferente do que acontece com a vacina da gripe, ou seja, a prioridade será pessoas acima de 60 anos e com comorbidade.

 

Vale lembrar que a Rússia liberou sua vacina contra a covid-19 para o público em geral, conforme anunciou o Ministério da Saúde do país nesta terça-feira (8). Segundo o comunicado, o primeiro lote de vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia, passou nos testes de qualidade e foi liberada para a população civil. O Ministério diz ainda que a entrega de fato dos primeiros lotes está prevista para um futuro próximo, mas não especificou datas.

foto: Folhapress

Compartilhar agora
X