ARTIGO: De “time de guerreiros” a “time de merda”. A virada da Juazeirense da noite para o dia

A Desportiva Juazeirense voltou da parada no Campeonato Baiano e o torcedor só tinha uma única coisa na cabeça: “Se esse time chegar às semifinais e se classificar para a Série D, será um feito e tanto” Era quase que unânime.

 

Após duas belas vitórias, marcando seis gols e tomando apenas um, surpreendendo a todos pelo pouco tempo de trabalho, eliminando um dos favoritos ao título, Bahia de Feira, jogando fora de casa e aplicando 3 a 1, as expectativas aumentaram e o torcedor era só alegria nas redes sociais: “Vamos Cancão”, “Time de Guerreiros”, “Vamos ser campeões, essa é a hora”…

 

Entusiasmo perfeitamente entendível, afinal de contas, seria uma das melhores campanhas do time nos últimos anos, indo pra semifinal da competição baiana e com chances reais de título, pois Bahia se divide com a Copa do Nordeste e o Vitória já teria sido eliminado na primeira fase.

 

Mas, vem a primeira partida da fase decisiva. Juazeirense joga contra o Atlético de Alagoinhas e o que tinha tudo para ser uma noite de glória, veio uma goleada inesperada diante das telinhas do Brasil inteiro. Pronto, bastou este insucesso, que os elogios outrora divulgados nas mesmas redes sociais, se transformariam numa sequência de análises com falta de embasamento, cheias de ódio e desumanas.

 

“Time de guerreiros” deu lugar ao “Time de Merda”, “Vamos ser campeões” virou “esse time é uma vergonha”. Mas como assim? Um dia antes, tínhamos chances de ser campeões, porém, após uma noite infeliz, para esquecer, nada se presta mais?

 

Talvez a decepção nos faz sentir cegos diante da racionalidade. Qual jogador que dispute o Baianão e que não esteja nesta semifinal, não sonhava com esse momento? Jogo televisionado para o Brasil inteiro, olhares de suas famílias, amigos e até outros times que buscam atletas para as próximas competições do restante do ano. “Time safado” “Com esse time, vai levar outro sacode” Esse mesmo time, venceu um dos candidatos ao título como dissemos acima, jogando bem, é só perguntar para a mídia da cidade em que o jogo aconteceu.

 

Aqui não se trata de defender o indefensável. Os atletas e comissão técnica, tiveram uma noite para esquecer. Não foram bem e não estamos querendo dizer que não merecem críticas. O sistema defensivo falhou, o ataque vacilou quando teve oportunidade. E é claro, vale salientar a qualidade do adversário. Time alto, forte, que trabalha bem a bola no meio de campo e literalmente colocou o Cancão de Fogo na roda.

 

Mas, pera aí, Juazeirense é o mesmo time que só tinha cinco jogadores durante a pandemia e teve que remontar o elenco todo da noite pro dia, treinar uma semana e se classificar para uma semifinal, garantir vaga na Série D do ano que vem e de quebra, ainda pode carimbar participação na Copa do Brasil em 2021?

 

A decepção do torcedor dá pra entender, óbvio. Acredito que os jogadores também queriam mais nesta quarta-feira, a comissão e diretoria também. Mas, destroçar um time com críticas sem embasamento, atacando o lado humano dos atletas, sem nenhum tipo de análise fria sobre o que aconteceu durante todo esse período de volta do campeonato e jogar fora tudo que foi conseguido com muito suor e dedicação.

 

Torcedor, estou tão triste e decepcionado quanto vocês, mas clube de futebol e seus funcionários, são humanos, estão susceptíveis a erros, a dias ou noites infelizes, como a de ontem. Ninguém viu diante do time de Alagoinhas, jogador andando em campo, menosprezando a camisa e os torcedores do clube. Todos correram, deram o seu melhor, mas tem dias que nada sai como planejado.

 

Agora, me diga, para finalizar, o jogo ainda não acabou e se esse mesmo “time de merda” fizer três gols em Alagoinhas no jogo de volta? Como serão os comentários nas redes sociais no dia seguinte?

 

EU ACREDITO VIRADA.

 

POR BRUNO LOPES

Compartilhar agora
X