Variante colombiana: Copa América trouxe nova variante do coronavírus ao Brasil, diz Instituto

O que alguns especialistas de saúde previa, foi confirmado. Pelo menos uma nova variante do coronavírus foi introduzida no Brasil com a realização da Copa América no Brasil. Amostras de testes colhidos de duas pessoas no Mato Grosso identificaram a presença da nova cepa B. 1.216, até então inédita em território brasileiro. Segundo informou o Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, os testes positivos foram de um colombiano e um equatoriano, países que se enfrentaram na Arena Pantanal, em Cuiabá, na abertura da Copa América, em 13 de junho.

 

A variante encontrada nos testes é originária da Colômbia, mas já chegou no Caribe, nos Estados Unidos e em algumas localidades da Europa. Variantes de interesse, como a B 1.216, são aquelas mutações que precisam ser acompanhadas mas que, até o momento, não trouxeram indicação de desenvolverem formas mais letais ou contagiosas da doença. Há ainda as variantes de preocupação, como a Delta, que têm essas características.

 

Desde que o governo federal e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciaram a realização da Copa América no Brasil, o Ministério da Saúde solicitou auxílio do Adolfo Lutz para a realização do mapeamento genômico dos testes de Covid-19 realizados no pessoal envolvido na competição, que permite a identificação de novas variáveis. A organização do evento ao Brasil representava um risco, segundo profissionais e órgãos de Saúde, e foi um dos motivos para que especialistas e autoridades de saúde criticassem a realização da Copa América em solo brasileiro, por isso, alguns estados vetaram receber partidas do torneio, como São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

 

foto: divulgação/Conmebol

Compartilhar agora
X