Vacinação no Brasil: governo negocia compra de vacinas da Pfizer e prevê que registro da de Oxford esteja pronto em fevereiro

O Ministério da Saúde disse ontem (7) que deve assinar nesta semana o memorando de intenção de compra de 70 milhões de doses da vacina produzida pela Pfizer e pela Biontech contra a Covid-19. Segundo o órgão, as negociações “avançam” e a vacina deve ser fornecida ainda em 2021. A data, entretanto, não foi especificada.

 

A vacina Pfizer/BioNTech apresentou eficácia de 95% na prevenção à covid -19, segundo estudos da fase 3 dos testes do imunizante. Os resultados foram apresentados em novembro. Não houve efeitos colaterais graves nos voluntários. A vacina é uma das quatro que estão sendo testadas no Brasil. Em novembro, o governo brasileiro recebeu executivos da Pfizer para “conhecer os resultados dos testes em andamento e as condições de compra, logística e armazenamento oferecidas pelo laboratório”.

 

Vacina de Oxford – O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse hoje (8) a governadores, que a previsão é de que a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca tenha o registro aprovado pela Anvisa no fim de fevereiro. Segundo Pazuello, a “vacina de Oxford” está em fase e conclusão da fase três dos testes. Na sequência, o processo deve ser submetido à Anvisa – o que deve acontecer até o final do mês – que avaliará se pode conceder o registro.

Compartilhar agora
X