TÊNIS: Por não tomar vacina da Covid, número 1 do mundo, Djokovic, é deportado e não jogará competição na Austrália

Novak Djokovic sofreu nova derrota na Austrália e está definitivamente banido do Aberto do país. Em julgamento final, a Justiça decidiu que o tenista ficará com seu visto cancelado e, portanto, impossibilitado de disputar a competição de tênis e buscar o recorde de 21 títulos no Grand Slam. Por falta de vacina contra a Covid (obrigatório entre atletas), Djokovic será deportado e ainda terá que arcar com os custos do julgamento, que durou quase nove horas.

 

Durante o julgamento, o advogado do governo australiano Stephen Lloyd argumentou que a presença de Novak Djokovic na Austrália poderia influenciar outras pessoas por se tratar de uma celebridade. Na visão de Lloyd, o tenista “com ou sem razão”, está endossando uma visão antivacina.

 

O Australian Open havia agendado a estreia de Djokovic no Grand Slam para segunda-feira (17/1), contra o também sérvio Miomir Kecmanovic. O horário do jogo estava, porém, indefinido.

 

Entenda a novela

 

Djokovic viajou da Espanha para Melbourne em 5 de janeiro, com uma isenção médica que permitiria sua entrada na Austrália mesmo não estando vacinado. O visto, porém, foi cancelado, motivo pelo qual ele foi retido pelas autoridades da imigração e ficou num hotel de quarentena.

 

O governo australiano controla a entrada de estrangeiros exigindo a comprovação de vacinação contra Covid, mas aceita receber pessoas não vacinadas quando comprovada a isenção médica.

 

As exceções incluem pessoas que não tomaram o imunizante para não piorar um quadro clínico grave causado por outra doença ou aquelas que apresentaram reação grave na primeira dose. Já o argumento da contaminação recente tem gerado debate e será avaliado pela Justiça.

Compartilhar agora
X