Segundo jornal, ex-assessora de Flávio Bolsonaro confessa crime de “Rachadinhas”; Senador se defende: “erros bizarros”

Luiza Sousa, ex-assessora do antigo gabinete do atual senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), prestou depoimento na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) em setembro. Na declaração, obtida pelo jornal O Globo, Luiza teria admitido que nunca atuou com o então deputado e que era obrigada a devolver mais de 90% do salário.

 

Ela também teria apresentado extratos bancários para comprovar que entregou, por meio de depósitos e transferências, cerca de R$ 160 mil para Fabrício Queiroz entre 2011 e 2017. Luiza Sousa Paes foi nomeada para a assessoria de Flávio em 12 de agosto de 2011 e ocupou o cargo até 11 de abril de 2012. Depois, foi contratada para a TV Alerj e para o Departamento de Planos e Orçamento. Ela relatou que durante todos esses anos teve de devolver a maior parte do salário.

 

SENADOR SE DEFENDE

 

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) afirmou que o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) cometeu uma “série de erros bizarros” na acusação, às vésperas das eleições municipais.

 

Os “erros” foram apontados pelo parlamentar nas redes sociais. “A quebra ilegal de sigilos e sem nenhum fundamento [pessoa que trabalhou 3 meses teve sigilo quebrado por 12 anos], ‘fishing expedition’, uso do Coaf como órgão investigador, informalidade nas trocas de informações entre órgãos públicos, cálculo errado de evolução patrimonial, acusações mentirosas contra pessoas que trabalhavam, suspeita de uso de ‘senhas invisíveis’ por criminosos dentro da Receita Federal para distorcer informações fiscais”, disse.

 

Além das acusações, Flávio Bolsonaro chamou o juízo de incompetente por promover “essas atrocidades e mais algumas”. O senador também afirmou acreditar que a acusação sequer será aceita pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. (Metrópoles)

Compartilhar agora
X