PREPARA O BOLSO! Materiais escolares podem ficar até 30% mais caros em 2022

O ano começa, e como é de praxe, cheio de despesas. E quem tem filhos na escola já sabe: é época de comprar o material escolar, que segundo a Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares (ABFIAE), vai acompanhar a inflação e a alta do dólar, podendo registrar um aumento que deve variar de 15% a 30%, em média. Isso se dá, de acordo com entidade, porque as indústrias e os importadores sofreram com os aumentos elevados e frequentes nas diversas matérias-primas como, por exemplo, papel, papelão, plástico, químicos, embalagem, etc.

 

No caso dos  produtos importados, os principais impactos são a variação do dólar no Brasil, os aumentos de custos na Ásia e a elevação dos preços de fretes internacionais, decorrente da falta de containers. Além disso, as medidas antidumping para importações de lápis da China, adotadas pelo governo brasileiro este ano, aumentaram os custos na categoria de lápis, segundo a ABFIAE. A estimativa é que nenhum produto escape da alta de preços.

 

O jeito, claro, é buscar alternativas para economizar. A primeira dica é a velha e boa pesquisa de preços. Para quem se organizou, pagar à vista, em dinheiro, pode render um bom desconto. Outra forma de economizar é conversar com outros pais, seja através de grupos e fazer compras conjuntas em livrarias, editoras e no atacado. Isso aumenta a probabilidade de conseguir preços menores, conforme explicou um economista à Agência Brasil.

 

foto: André Luiz D. Takahashi

Compartilhar agora
X