MÍLICIAS DIGITAIS: entenda a prisão do presidente do PTB, Roberto Jefferson

O ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) foi preso preventivamente pela Polícia Federal (PF) na manhã desta sexta-feira (13) após determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que também determinou o bloqueio de conteúdos postados por Jefferson em rede sociais e a preensão de armas e acesso a mídias de armazenamento.

 

Moraes, ao determinar a prisão, acusa o ex-deputado de participar de uma suposta milícia digital em ataques às instituições democráticas. A organização criminosa teria sido montada, principalmente, para atacar a próxima eleição. O presidente nacional do PTB teve o pedido de prisão feito pela PF, que atribui a Jefferson a participação na milícia digital, que tem feito ataques sistemáticos às instituições, notadamente ao STF e também ao processo democrático. O advogado de defesa do ex-deputado, Dr Luiz Gustavo Pereira da Cunha, disse que só vai se manifestar depois após ter acesso a decisão do mandado de prisão e da busca e apreensão.

 

O inquérito que investiga a organização e o funcionamento de uma milícia digital voltada a ataques à democracia foi aberto em julho, por decisão de Moraes. Nessa investigação, a PF apura indícios e provas que apontam para a existência de uma organização criminosa que teria agido com a finalidade de atentar contra o Estado democrático de direito. Essa organização se dividiria em núcleos: de produção, de publicação, de financiamento e político. Outra suspeita é de que o grupo tenha sido abastecido com verba pública.

 

foto: Weleson Nascimento/PTB Nacional

*com informações G1 e CNN

Compartilhar agora
X