Mas já? Rússia vai conceder registro para 1ª vacina contra covid-19 na próxima semana

12 de agosto é a data prevista para a Rússia conceder o registro para a primeira vacina contra a covid-19. O anúncio foi feito pelo vice-ministro da Saúde do país, Oleg Gridnev, nesta sexta-feira (7). O terceiro e último estágio de teste da vacina está em andamento. É a fase decisiva, pois é quando se produzem as evidências reais sobre o seu uso contínuo e que vão apontar se ela poderá ou não ser licenciada e liberada para a comercialização.

 

Ocorrendo tudo conforme o esperado, o ministro da Saúde da Rússia, Mikhail Murashko, já anunciou que o programa do governo de vacinação em massa está previsto para começar já em outubro, sendo, portanto, o país pioneiro. Médicos e idosos terão prioridade na imunização.

 

A velocidade dos ensaios clínicos e a falta de transparência para divulgar os resultados geram questionamentos de especialistas, pois existe o temor que os ensaios clínicos tenham sido insuficientes. Como a Rússia não publicou nenhum estudo ou dado científico sobre os testes que realizou, a sua eficiência é colocada sob suspeita.

 

Vale lembrar que ainda assim, recentemente, o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que o governo russo procurou o governo de São Paulo para se associarem na produção da vacina. Uma representante do governo estadual do Paraná também esteve com o embaixador russo para discutir uma possível parceria e ofereceu a estrutura do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para a produção. Um acordo, entretanto, até o momento, ainda não foi firmado.

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que 164 vacinas estão em diferentes fases de estudo e ao menos nove países já testam vacinas em humanos. Apenas cinco delas estão na fase 3, como o governo russo afirma que a sua vacina está.

(foto: REUTERS/Dado Ruvic/Illustration/File Photo)

Compartilhar agora
X