Itália emite mandado de prisão internacional para Robinho por condenação de estupro

O Ministério da Justiça da Itália emitiu um mandado de prisão internacional para o ex-atacante do Milan e da seleção brasileira Robinho, depois que o principal tribunal do país confirmou sua condenação por estupro, disse um porta-voz do ministério, hoje. Robinho mora no Brasil. Por lei, o país não extradita seus cidadãos, o que significa que ele só seria preso se viajasse para o exterior.

 

 

O caso aconteceu em Milão, na boate Sio Cafe, durante a madrugada de 22 de janeiro de 2013. A vítima é uma mulher albanesa que, na época, comemorava seu aniversário de 23 anos. Além de Robinho e Ricardo Falco, amigo do jogador, outros quatro brasileiros foram denunciados por terem participado do ato.

 

 

Como já haviam deixado a Itália no decorrer das investigações, eles não foram avisados da conclusão das investigações e por isso não foram processados. Um tribunal de Milão, em 2017, declarou Robinho e os outros brasileiros culpados de estuprar a mulher. A condenação de Robinho e Falco foi confirmada por um tribunal de apelação em 2020 e validada pela Suprema Corte da Itália no mês passado. Robinho disse que é inocente.

 

 

 

 

Compartilhar agora
X