Gabriel Medina vai perder etapa do Mundial em Teahupoo porque não se vacinou contra a covid-19

Líder do ranking mundial de surfe, Gabriel Medina está fora da etapa do circuito em Teahupoo (onde, diga-se de passagem, consegue se destacar bastante). O brasileiro não poderá disputar a campeonato na Polinésia Francesa porque não se vacinou contra a COVID-19. Medina disputou por lá quatro finais nos últimos cinco anos, sagrando-se campeão por duas vezes. É em Teahupoo, aliás, que serão disputadas as baterias da próxima Olimpíada, em Paris.

 

A competição exige que os participantes estejam imunizados ou que façam 10 dias de quarentena. Medina contou a seus seguidores que precisaria cumprir 10 dias de quarentena depois da etapa do México. Isso não será possível, já que a janela de disputa nas ondas mexicanas vai de 10 a 19 de agosto, logo emendando com a de Teahupoo, entre 24 de agosto e 3 de setembro. “Não dá tempo de ir do México, porque é uma seguida da outra. Aí vou ser obrigado a não ir. Sacanagem. Mas de boa. Eu posso descartar uma etapa, então está de boa”, disse.

 

Não se imunizar foi uma opção do surfista, já que o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) disponibilizou a vacina contra o nvoo coronavírus para todos os atletas brasileiros inscritos nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Como a imunização não era uma exigência da competição, Medina escolheu não ser vacinado.

Compartilhar agora
X