Europa proíbe o uso de tintas coloridas para tatuagens por causa de riscos à saúde

Com muita discussão e polêmica, a partir desta terça-feira (4) vai entrar em vigor uma lei que proíbe o uso de tintas coloridas em tatuagens na União Europeia.

 

Esta decisão controversa foi tomada após mais de 4 mil produtos químicos proibidos pela regulamentação sanitária do bloco de países terem sido encontrados nos produtos utilizados por alguns tatuadores para a realização deste tipo de desenho. Sendo assim, de maneira totalmente surpreendente, a discussão acabou sendo repercutida nos noticiários europeus.

 

Com presença em um documento chamado Registro, Avaliação, Autorização e Restrição de Produtos Químicos (REACH), que organiza e fica responsável pela comercialização dos produtos no país, algumas substâncias estariam avaliadas e caracterizadas como cancerígenas ou responsáveis por consequentes mutações genéticas.

 

O álcool isopropanol está entre os elementos químicos identificados que causam danos à saúde, sendo assim, o próprio elemento encontra-se proibido na composição de produtos destinados à aplicação na pele.

 

Por conta da grave situação e medo de um futuro não tão distante, inclusive, diversos tatuadores já tiveram de recusar clientes que desejavam tatuagens grandes — que podem levar meses para ser completadas — sabendo que talvez não tenham uma tinta de reposição em janeiro.

 

Fabrizio Funelli, que dirige o estúdio ‘Funestik Tattoo Mania, em Bruxelas, capital da Bélgica, revelou ao jornal “Politico” que os fabricantes ainda não forneceram alternativas adequadas e as que são oferecidas podem não ter o mesmo efeito duradouro.

Compartilhar agora
X