Dia mundial do estresse: como identificar e combater?

Você sabia que o dia 23 de setembro foi escolhido pela OMS como o Dia Mundial do Combate ao Estresse? Essa data é uma oportunidade para conscientizar sobre os perigos do estresse, um dos problemas que aumentou ao longo dos anos e hoje afeta grande parte da população, sejam jovens, adultos ou idosos. Porta de entrada para outros problemas, já que não está apenas associado a fatores externos, o estresse também está ligado ao modo de como levamos as emoções do dia a dia, seja de alegria, emoção, decepção, tristeza ou medo, e isso varia de pessoa para pessoa.

 

O estresse, segundo especialistas, é algo complexo, e age de maneiras diferentes no organismo. Uma pessoa sob estresse tende a adquirir hábitos ruins, como não ter cuidado adequado com a saúde, alimentação, sono , além de não fazer exercício. E estes hábitos, muitas vezes associados ao estresse, podem causar problemas cardiovasculares. Queda de cabelo, doenças na pele e gastrite também são comuns em situações de estresse. Em alguns casos, podem aparecer alguns sintomas, como suor excessivo, tontura e algumas dores.

 

Portanto, de acordo com o neurocientista Fabiano de Abreu, é preciso mudar completamente os hábitos se a pessoa deseja ficar livre do estresse. É necessário relaxar, fazer atividades físicas para liberar endorfina, serotonina e dopamina, que são os neurotransmissores do prazer, humor e recompensa. Além disso, ingerir alimentos que controlem o açúcar e também ajudam na memória, na pressão arterial e possuem gorduras essenciais para moderar os hormônios do estresse como ovo, abacate, brócolis, espinafre, peixe, aveia, frutos sexos, chocolate amargo, leite e derivados. Se achar necessários, busque um psicólogo.

Compartilhar agora
X