“ACHEI QUE ERA PEDRADA”: Estudante leva tiro e só percebe 4 horas depois

A estudante de pedagogia Renata de Assis, de 22 anos, levou um tiro durante um pagode em Rocha Miranda, na Zona Norte do Rio, e só percebeu que tinha sido baleada quatro horas depois. Ela estava no local comemorando o aniversário de uma amiga, e a constatação da bala alojada no braço aconteceu após exame de imagem feito durante a madrugada em uma emergência.

 

“A gente estava tranquila no pagode. Eu saí desse estabelecimento, por cerca de 5 minutos, e eu senti uma pressão muito forte no meu braço. Inicialmente, eu achei que era uma pedrada. A gente olhou no chão e não tinha nada de diferente. E, como forma de expressão, para explicar para as pessoas que estava doendo muito, eu comecei a falar que eu tinha tomado um tiro. Ninguém acreditou, eu também não acreditei”, afirmou Renata, em entrevista ao g1.

 

Renata contou ainda que, ao chegar em casa na madrugada de domingo (20), falou do machucado para sua mãe, Rosângela de Assis. A estudante não queria ir a uma emergência, mas foi convencida pela mãe. Elas chegaram na UPA da Penha, Zona Norte do Rio, e viram – em um exame de imagem – que a bala estava alojada no braço direito.

 

Segundo Renata, os médicos informaram que com a tentativa de retirar o projétil ela correria risco de perder os movimentos do braço e, por isso, ela segue com a bala alojada no ombro. A família, no entanto, está preocupada e ainda tenta uma outra opinião médica sobre o que fazer. A mãe da estudante, Rosângela, afirmou que cadastrou a filha no SisReg, mas só conseguiu consulta com um especialista para junho. As informações são do G1.

Compartilhar agora
X