5G no Brasil: O que é? O que muda? Quando vai começar? Vai ser mais caro? Portal Zap esclarece

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai realizar nesta quinta-feira (4) o leilão do 5G, a nova geração de internet móvel, uma evolução da conexão 4G atual. A promessa é que ela trará mais velocidade para baixar e enviar arquivos, reduzirá o tempo de resposta entre diferentes dispositivos e tornará as conexões mais estáveis, o que vai permitir conectar muitos objetos à internet ao mesmo tempo: celular, carro, semáforo, relógio. Tudo isso já pode ser ligado ao 4G, mas é esperada uma melhoria na conexão.

 

O leilão do 5G, primeiro passo para a exploração da tecnologia, está marcado para 4 de novembro. As empresas farão seus lances e, depois disso, a fase de implementação da tecnologia com a instalação da infraestrutura necessária deve começar. A previsão é que o 5G comece a ser ofertado até julho de 2022, inicialmente nas capitais dos estados.

 

As operadoras geralmente não oferecem acesso exclusivo a um tipo de tecnologia de rede, mas cobram pela franquia de dados utilizada. As empresas, porém, ainda não definiram se haverá reajustes nos preços de pacotes de dados, pois ainda vão levar meses até que a tecnologia esteja disponível. O acesso ao 5G deve ser mais restrito no início por dois motivos: uma cobertura menor, primeiramente centrada nas capitais, e a compatibilidade de poucos celulares – que atualmente são os mais caros do mercado.

 

Importante lembrar que será preciso ter um celular compatível com a tecnologia 5G. Os celulares atuais continuarão funcionando nas redes 4G, 3G e 2G – essas conexões não deixarão de funcionar.

 

*com informações do G1

foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil

Compartilhar agora
X