SBI pede que hidroxicloroquina seja abandonada no tratamento da Covid-19 e Ministério da Saúde reconhece que pode mudar orientações, entenda:

A Sociedade Brasileira de Infectologia publicou, nesta sexta-feira, um informe pedindo que o seja abandonado o tratamento com hidroxicloroquina em qualquer fase de sintomas da Covid-19. Ela pede que o Ministério da Saúde, estados e municípios reavaliem suas orientações, não prescrevendo tratamentos ineficazes, e com riscos de efeitos colaterais.

A sociedade médica afirma que, nesta quinta-feira, dois estudos clínicos robustos foram publicados em revistas médicas de prestígio, apontando que a hidroxicloroquina não traz benefício para a prevenção e nem para o tratamento hospitalar para o coronavírus.

Em resposta, o Ministério da Saúde afirmou nesta sexta-feira que avalia diariamente as novas evidências relativas aos possíveis tratamentos para a covid-19 e reconheceu que provavelmente mudará suas orientações sobre o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina, depois da cobrança da SBI: “Estamos vendo quais são as evidências mais novas publicadas na literatura universal, então já somamos mais de 1 mil evidências em quase 70 boletins de evidências científicas, esses boletins são atualizados diariamente. E se mudará as orientações? Provavelmente sim. A ciência, ela muda dia após dia”, disse Hélio Angotti Neto, secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos do ministério.

Ele não detalhou qual tipo de mudança de orientação pode ser feita pelo ministério. Atualmente, o Ministério da Saúde recomenda o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina para o tratamento da covid-19 em todas as etapas da doença, apesar da falta de comprovação científica de eficácia.

Compartilhar agora
X