Saturou?: Para Marília Mendonça, queda na audiência e nas buscas pelas lives se dá pois as pessoas estão furando a quarentena

Com a proibição dos eventos a fim de evitar aglomerações e conter a disseminação do novo coronavírus, o mundo assistiu, desde março, a ascensão do fenômeno das lives. Artistas, nacionais e internacionais, passaram a organizar, alguns em suas próprias casas, transmissões dos seus shows, que foram cancelados devido a pandemia. As lives também ganharam grande adesão pois, além de se tornarem uma das principais opções de entretenimento para o público de casa, também foram vistas como uma ferramenta importante de mobilização para arrecadação de doações para entidades sociais de todos país.

 

Também é importante ressaltar que as lives surgiram como alternativa dos artistas para lucrar no período de pandemia, visto os prejuízos milionários pela falta de shows. Não há como negar que as lives foram responsáveis por animar muitas das tarde e noites de muitos brasileiros ao longo desses quase 5 meses. Porém o formato já não tem mais a mesma adesão de antes e parece já ter saturado.

 

Prova disso é que as principais transmissões estão, cada vez mais, tendo menos audiência que as anteriores desses mesmos artistas. Além disso, a plataforma Google Trends, que monitora as palavras-chave mais buscadas na internet, revelou que as buscas estão 67% menores em comparação com o mês de abril, época em que as transmissões ao vivo tiveram seus picos de audiência.

 

As buscas no Google pela palavra lives tiveram seu auge nos dias 19 e 25 de abril, além de 2 de maio. As três datas caíram em finais de semana e não coincidem com as maiores lives do YouTube, de Marília Mendonça, com 3,31 milhões de espectadores simultâneos em 8 de abril, e a de Jorge & Mateus, com 3,24 milhões, em 4 de abril. Em 12 de junho, Dia dos Namorados, houve um leve aumento nas buscas e, daí em diante, a queda só se acentuou.

 

Por falar em Marília Mendonça, a cantora reconheceu a queda de audiência das lives, e atribuiu isso ao fato de que as pessoas estão furado a quarentena. O comentário foi feito no Twitter, ao compartilhar uma matéria que falava sobre a queda brusca de audiência nos show online. Ainda assim, a cantora afirmou que, mesmo com a saturação, fará mais uma live.

 

“Um tanto quanto óbvio, já que usamos como distração e na maioria do país temos bares abertos, resenhas e etc. já era esperado, mas ainda há um seleto público de fãs em casa c saudade dos shows de seus favoritos e esperam ansiosos. dia 08.08 to na área pra esses”, escreveu.

 

A falta de interesse do público se reflete por diversas razões, como a oferta de atrações. Hoje, além das diversas lives que são realizadas cotidianamente, percebe-se uma saturação, tendo em vista que muitos desses artistas já realizaram diversas ao longo desses meses, a exemplo de Gusttavo Lima, que fez cinco apresentações caseiras.

 

Alguns até tentam inovar, fazendo parcerias musicais com outros artistas do mesmo segmento ou não. Outras tentam atrair o público com a realização de sorteios de automóveis, celulares e dinheiro, por exemplo. Ainda assim, é notável uma queda brusca das visualizações no momento da transmissão, como também após, quando os vídeos ficam disponíveis ao público.

 

Mas e aí… você arriscaria um palpite sobre a que se dá a queda de audiência das lives? Concorda com Marília, que é por causa da quebra da quarentena, ou acredita que é um sinal de saturação do formato?

Compartilhar agora
X