Polícia de Pernambuco explica elucidação do crime e revela possível moticação, veja:

A Polícia concedeu uma entrevista coletiva em Recife para imprensa nesta quarta-feira (12) para tratar sobre o assassino de Beatriz, que foi divulgado na noite de ontem (11). O possível autor do crime é Marcelo Silva, de 40 anos, que estava preso em Salgueiro.

 

O suspeito foi interrogado pela Polícia, realizou teste de DNA e coincidiu com as digitais usadas na faca do crime. Além disso, Marcelo confessou que matou a criança na escola Maria Auxiliadora. O exame foi realizado pelo Instituto de Genética Forense Eduardo Campos  (IGFEC), um dos mais renomados no país.

 

“Temos um crime em que o acusado continua preso por conta de outro crime, que foi de estupro, no passado. Além disso, o acusado assumiu e narrou o assassinato de Beatriz e colaborou com os fatos. A investigação continua”, comentou o secretário de Defesa Social.

 

O secretário explicou que o possível assassino deu detalhes do crime e deixou claro que 100% das imagens de segurança foram recuperadas pela equipe e estão sendo utilizadas para novas investigações.

 

De acordo com o secretário, o Instituto de Genética Forense Eduardo Campos vai fazer uma nova coleta junto com o acusado e, principalmente, suas digitais na faca, para trazer à tona um veredito final. Para que, sendo assim, o caso tenha um “ponto final”, uma vez que o próprio homem confessou ter matado a criança.

 

Ao ser questionado sobre o motivo do crime, o secretário destacou que, de acordo com a narração do assassino, o motivo do crime foi porque o autor do crime, que é de outra cidade, queria arrumar dinheiro justamente em um local com bastante pessoas para voltar ao possível destino. Já que não conseguiu e, por ter a mente conturbada, teria cometido o crime. Foi realizado exame e não há marcas de abusos sexuais.

 

Para finalizar a coletiva, o secretário afirmou que foram 42 fotografias de vários ângulos diferentes e 10 facadas na criança.

 

O Ministério Público comunica que “Com essa indicação cabal, procedemos a outras diligências. O suspeito indicado foi devidamente interrogado, confessando a prática do homicídio de Beatriz. Ele, inclusive, apresentou a narrativa temporal que coube perfeitamente ao que vinha sendo investigado. Vários exames complementares de confirmação foram feitos até chegar ao laudo final. A Força Tarefa permanece trabalhando para compilar tudo que é necessário para ser encaminhado ao Ministério Público”, detalhou.

Compartilhar agora
X