POLÊMICA: Ministro anuncia compra de vacina chinesa e Bolsonaro desmente: “Não compraremos”

Mais uma polêmica à vista dentro do governo Bolsonaro, desta vez envolvendo o ministro da Saúde Eduardo Pazuello, que anunciou ontem (20) a compra de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac e que será produzida no Brasil no Instituto Butantã, em São Paulo.

 

Pazzuello anunciou a compra da vacina em uma reunião com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e mais 23 governadores, mas o presidente Jair Bolsonaro, respondendo a internautas, divulgou não irá comprar “a vacina da China”.

 

Uma seguidora, que tratou o ministro como traíra, perguntou a Bolsonaro se ele demitiria Eduardo Pazuello: “Bom dia presidente. Exonera Pazuello urgente, ele está sendo cabo eleitoral do Doria. Ministro traíra”, e Bolsonaro respondeu: “Tudo será esclarecido ainda hoje. Não compraremos a vacina da China”, disse o presidente.

 

O governo de São Paulo já assinou contrato para a compra de 46 milhões de doses da vacina e anuncia uma possível vacinação em massa em São Paulo já para o primeiro semestre de 2021. Pazuello, que está em casa em isolamento sob suspeita de Covid-19, deve ser chamado a explicar sua decisão.

Compartilhar agora
X