Num clima amistoso, Bolsonaro se reúne com governadores e promete sancionar socorro a estados

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) prometeu em reunião por videoconferência nesta quinta-feira (21) com governadores sancionar o projeto de socorro aos estados e pediu apoio no veto ao trecho sobre o reajuste salarial para servidores públicos até o fim de 2021: “O motivo dessa pauta é falar para os senhores porque temos que trabalhar em conjunto, a sanção de um projeto [de socorro] que é uma continuidade de outras leis, há pouco aprovada, de um auxílio, um socorro aos governadores, também acessível a prefeitos, de aproximadamente R$ 60 bilhões”, disse Bolsonaro na sua fala inicial, que completou: “O que se pede apoio aos senhores é a manutenção de um veto muito importante”.

 

Fazer o congelamento destes reajustes na remuneração dos servidores públicos até o fim do ano que vem é o “remédio menos amargo, mas é de extrema importância para todos os 210 milhões de brasileiros”, disse o presidente que ainda completou: “Tivemos as mais variadas propostas, como por exemplo a redução de 25% dos salários. Em comum acordo com os poderes, chegamos à conclusão que congelando a remuneração e os proventos dos servidores até o fim do ano que vem, esse peso seria menor, de extrema importância para todos nós”.

 

Bolsonaro ainda esclareceu que o congelamento dos salários mencionados não irá afetar as promoções e progressões, que segundo ele: “continuarão acontecendo normalmente, não serão atingidas.”

 

Na reunião, além dos chefes estaduais, participam do encontro virtual, segundo a agenda divulgada pelo Palácio do Planalto, os ministros: Paulo Guedes (Economia), Fernando Azevedo (Defesa), Braga Netto (Casa Civil), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Jorge Oliveira (Secretaria-Geral). Estiveram também presentes os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) também participam da reunião.

Compartilhar agora
X