“Não tenho como saber o que acontece nos ministérios”, diz Bolsonaro sobre o caso Covaxin

Em conversa com apoiadores na saída do Palácio do Planalto nesta segunda-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que não tem como saber o que acontece nos ministérios de seu governo. O comentário foi em resposta a denúncia de irregularidades na compra da vacina Covaxin, que se tornou o principal tema da CPI da Covid nos últimos dias.

 

“Ele [o deputado Luis Miranda] que apresentou [informações sobre a compra da vacina], eu nem sabia como é que estavam as tratativas da Covaxin porque são 22 ministérios. Só o ministério do Rogério Marinho [Desenvolvimento Regional] tem mais de 20 mil obras. [O Ministério da Infraestrutura]. Não tenho como saber. O da Damares [Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos], o da Justiça, o da Educação. Não tenho como saber o que acontece nos ministérios, vou na confiança em cima de ministro, e nada fizemos de errado”, disse Bolsonaro.

 

A situação – À CPI, Luis Miranda, servidor do Ministério da Saúde e ex-chefe do setor de importação da pasta, contou que identificou suspeitas de irregularidades na compra. Ele e o irmão, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), disseram que alertaram o presidente Jair Bolsonaro, em reunião no dia 20 de março, sobre as suspeitas. Senadores da CPI devem ir ao STF na tarde desta segunda para apresentar uma notícia-crime contra o Bolsonaro por prevaricação (retardar ou deixar de praticar ato de ofício para satisfazer interesse pessoal).

 

foto: Isac Nóbrega/PR

Compartilhar agora
X