Luta por respeito e equidade marca o Dia do Orgulho LGBTQIA+

28 de junho: Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis, queer, intersexo, assexuais e outras possibilidades). A data, que é celebrada e lembrada mundialmente, marca um episódio ocorrido em Nova Iorque, no ano de 1969. Neste dia, por volta de 1h20 da manhã, oficiais disfarçados da Divisão de Moral Pública invadiram o bar gay Stonewall Inn, localizado no bairro de Greenwich e prenderam diversos clientes alegando “conduta imoral”. O objetivo, na verdade, era coagir a comunidade LGBT.

 

O levante contra a perseguição da polícia durou mais duas noites e, no ano seguinte, resultou na organização na 1° parada do orgulho LGBT, realizada no dia 1° de julho de 1970, para lembrar o episódio. Entretanto, se faz necessário ressaltar que independente do mês, a data ou ano, a comunidade LGBTQIA+ luta pela construção de uma sociedade livre de preconceitos, igualitária e democrática, que se orgulha de ser quem, de amar quem quiser. Essa luta não é apenas dos LGBTQIA+, essa é uma luta da sociedade.

 

“Esta data é para reafirmar que queremos respeito e igualdade. Pra reafirmar que vamos bater de frente contra todo tipo de preconceitos e violências contra a nossa comunidade, ainda mais em nosso país, que historicamente é um dos que mais matam pessoas LGBTQIA+. Nada disso é ‘mimimi’. Nada disso é balela. Só quem é LGBTQIA+ sabe o que sofremos no dia-a-dia. A dor da rejeição, do menosprezo, da agressão e também da morte. Queremos respeito, e precisamos lutar em conjunto. Conquistamos muito, mas ainda falta muito mais. E não queremos, jamais, retroceder um passo sequer “, disse Sayonara Macedo, ativista da causa, ao Portal ZAP.

 

O Portal ZAP apoia e abraça a campanha, pelo direito de SER e de AMAR!

Compartilhar agora
X