Laudo do IML aponta suicídio como causa da morte de voluntário da CoronaVac

Laudo médico emitido pelo Instituto Médico-Legal (IML) aponta que a causa da morte do voluntário da CoronaVac, vacina produzida pela Sinovac em parceria com o Instituto Butantan , que fez a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interromper os testes de forma imediata, foi suicídio. A previsão é de que o laudo do IML que confirma a causa da morte seja divulgado publicamente às 17h desta terça. A informação foi divulgada pelo UOL e pelo “Estadão” nesta terça-feira (10).

 

Na noite desta segunda-feira (9), a Anvisa suspendeu os testes da vacina da Sinovac após ter sido notificada sobre um “evento adverso grave” em um voluntário, mesmo dia o governo de São Paulo havia anunciado a chegada de milhares de doses do imunizante no próximo dia 20. Representantes do governo de São Paulo demonstraram indignação com a medida e defenderam que não há relação entre o evento adverso e o imunizante.

 

Hoje pela manhã, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ao responder um apoiador, disse que havia “ganhado” do governador de São Paulo, João Dória, após a Anvisa interromper os testes da CoronaVac. “Morte, invalidez, anomalia… esta é a vacina que o Doria quer obrigar a todos os paulistanos tomá-la. O presidente disse que a vacina jamais poderia ser obrigatória. Mais uma que Jair Bolsonaro ganha”, disse, em resposta.

Compartilhar agora
X