Felipe Neto e Bolsonaro integram lista dos “100 mais influentes” da Revista Time

O influenciador digital Felipe Neto e o presidente Jair Bolsonaro foram os dois brasileiros escolhidos na lista de “100 pessoas mais influentes de 2020” da Revista norte-americana Time. A lista, divulgada anualmente, aponta pessoas que influenciaram o mundo no ano anterior em áreas como política, artes, comportamento e meio ambiente.

 

Felipe Neto, que possui um canal no YouTube com 39 milhões de inscritos, um dos maiores do mundo, e 12 milhões de seguidores no Twitter – integra a lista na categoria de “ícones”, ao lado de outros 14 indicados, como a tenista japonesa Naomi Osaka, do ator Billy Porter e dos fundadores do movimento Black Lives Matter (“Vidas Negras Importam”).

 

Jair Bolsonaro aparece pelo segundo ano seguido na lista de 100 pessoas mais influentes da Revista Time – ambos na categoria “líderes”. O presidente brasileiro divide a lista com, entre outros nomes, o presidente norte-americano Donald Trump, o candidato democrata Joe Biden, o premiê indiano Narendra Modi, a chanceler alemã Angela Merkel e o presidente da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus.

 

Na categoria “Líderes”, o perfil de Bolsonaro informa números negativos de seu mandato, como os 137 mil mortos pelo coronavírus no Brasil, a “pior recessão em 40 anos” e os “mais de 29 mil incêndios na floresta amazônica apenas em agosto”, mas também o apoio de 37% dos brasileiros.

 

O editor de internacional da revista, Dan Stewart, que escreveu o perfil do presidente brasileiro, atribui o percentual de apoio a Bolsonaro, o maior desde que ele assumiu o cargo no início do ano passado, à ajuda emergencial paga aos mais pobres durante a pandemia e aos seus seguidores fervorosos.

 

O texto de apresentação, assinado pelo deputado federal David Miranda, conta que o influenciador, de origem humilde, começou há uma década criando conteúdo para YouTube e “rapidamente encontrou fama, um público jovem enorme e leal e patrocínios lucrativos”.

 

Sua atuação mudou a partir de 2018 quando ele “redirecionou sua popularidade” para se tornar um dos “oponentes mais eficazes de Jair Bolsonaro”.

 

A apresentação cita um vídeo do influenciador divulgado em julho pelo jornal americano “New York Times” em que ele detalha como o presidente brasileiro tem sido o “líder mais destrutivo do mundo na pandemia de Covid-19”.

 

Felipe Neto foi citado ao lado de nomes como Alicia Garza, Patrisse Cullors e Opal Tometi (fundadoras do movimento Black Lives Matter), a professora americana Angela Davis e a jogadora de futebol dos EUA Megan Rapinoe, entre outras celebridades.

Compartilhar agora
X