Entenda as consequências do aquecimento do planeta para a vida na terra

As crises sanitárias, sociais e econômicas da pandemia da covid-19 que afetam diversos países do mundo, podem ser agravadas ainda mais, principalmente no Brasil, é o que destaca uma reportagem do Estadão. A previsão é de aumento de eventos extremos, que vão de secas a tempestades intensas, que podem, inclusive, comprometer recursos hídricos e a oferta de energia, além, claro, dos riscos diretos do próprio aumento da temperatura sobre a saúde humana, já que ondas de calor podem ser fatais.

De acordo com a reportagem, o tamanho do impacto está diretamente relacionado ao quanto aquecimento do planeta ao longo dos próximos anos. Um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas publicado há dois anos aponta que se o planeta aquecer 1,5ºC até o fim do século (ou mais ou menos 0,5ºC de agora até 2100, o que é muito pouco), os impactos já existem, mas ainda são relativamente manejáveis. Já se o aumento for de 2ºC, a situação já fica mais dramática, e os pesquisadores alertam que já estamos num rumo ainda mais perigoso.

O Acordo de Paris, estabelecido em 2015 por 195 países, onde cada nação apresentou um plano do que considera ser capaz de cumprir, prevê esforços conjuntos para conter o aumento da temperatura. Entretanto, esses compromissos podem não se capazes de provocar uma alteração mínima no cenário. É que mesmo que os países façam tudo que prometeram, as emissões vão continuar altas demais e a temperatura pode subir cerca de 3°C. Nesse caso, os dados podem ser realmente trágicos, como situações de calor extremo, aumento do nível do mar, degelo do ártico, extinção de espécies, além de consequências na produção de peixes e na agrícola.

*informações do Estadão

Compartilhar agora
X