Depois de mais de 20 anos, Nilson Caxias de Souza, acusado do feminicídio da professora Mery Vânia em Petrolina, é julgado nesta terça-feira (24)

Após dois adiamentos em 2022, a audiência de Nilson Caxias de Souza, réu confesso do feminicídio da professora Mery Vânia Almeida, iniciou nesta terça-feira (24), por volta das 8h, no Fórum de Petrolina. Sete jurados vão definir se Nilson Caxias é culpado pelo crime. Ontem, Jessica Peixinho, filha de Mery Vânia, que presenciou o assassinato da mãe aos 7 anos de idade, em abril 1998, pediu participação e apoio da comunidade do Vale do São Francisco nessa busca por justiça.

 

“O assassinato da minha mãe, Mary Vânia, ocorreu na minha frente, quando eu tinha apenas 7 anos de idade. Um crime extremamente brutal, um trauma para a vida toda! Após mais de 24 anos de impunidade, o assassino finalmente irá a júri popular, AMANHÃ (24/01). Preciso da ajuda de todos os amigos para divulgar o caso, para retomar a aclamação popular, o assassinato da minha mãe não pode ficar impune! E, peço a todos que puderem, tirem um momento do dia de vocês amanhã e compareçam ao fórum de Petrolina, o julgamento durará o dia todo, toda presença e apoio nos ajudará nessa busca por justiça!”, disse Jéssica Peixinho ontem (23), em suas redes sociais.

 

Em outra publicação, ela reforçou: “Peço que todos que puderem comparecer tirem um momento do seu dia para nos apoiar nessa busca por justiça. Quem não puder estar pessoalmente, peço boas vibrações e que nos ajudem compartilhando as informações sobre o caso”.

 

Durante a manhã, as testemunhas foram ouvidas e à tarde haverá debate e alegações das partes envolvidas. A previsão é que o julgamento seja encerrado no início da noite. Como o acusado é réu confesso, a defesa dele vai buscar a redução de pena.

 

Relembre o caso

 

Nilson Caxias de Souza foi acusado de matar a professora Mery Vânia de Almeida, em abril de 1998, no centro de Petrolina-PE. Na audiência de instrução de junho de 2021, Nilson confessou o crime.

 

A morte de Mery Vânia foi muito noticiada em Petrolina, na época. A vítima foi assassinada a facadas, dentro de sua casa, no centro da cidade. A filha da professora, que na ocasião tinha 7 anos, presenciou o crime. Nilson era ex-namorado de Mery Vânia.

 

Apesar de toda repercussão que o crime teve na época, o acusado só foi preso em setembro de 2020, em Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador. Nilson levava uma vida normal, casado, com três filhos, casa própria e trabalhando com frete. O crime só não prescreveu porque em 2014 o juiz suspendeu a prescrição até a prisão do suspeito.

 

De acordo com Jessica Peixinho, filha da vítima, o julgamento aconteceria em 2022, mas o réu solicitou adiamento por trocar de advogado, depois disso, o novo advogado afirmou estar com sintomas gripais e pediu nova data.

 

Informações G1 e redes sociais de Jessica

Fotos: Emerson Rocha (g1 Petrolina)/Reprodução redes sociais de Jessica

Compartilhar agora