Covid-19: Singapura vai acabar com atendimento gratuito para quem não se vacinar

O governo de Singapura anunciou que não vai mais arcar com os custos médicos por covid-19 de pessoas que não se vacinarem contra a doença por opção. Com o fim do atendimento gratuito, o ministério da Saúde do país acredita que enviará uma mensagem importante para a população. “Uma maioria considerável daqueles que requerem cuidados intensivos de internação e contribuem de forma desproporcional para o desgaste de nossos recursos de saúde”, disseram as autoridades de saúde do país do sudeste asiático nesta terça (9).

 

A cobrança começará no dia 8 de dezembro. Segundo o governo, atualmente, todos os gastos médicos de pessoas com a doença são pagos pelo governo, de moradores permanentes e de quem tem visto de longa duração — exceto de quem é diagnosticado com covid-19 logo após voltar do exterior. A cidade-estado vai continuar pagando os custos de quem não pode tomar a vacina contra covid-19 — como as crianças — e dos parcialmente vacinados até 31 de dezembro, dando tempo para que tomem a segunda dose.

 

Cenário – Em outubro, o país começou o relaxamento de medidas restritivas. O aumento de infecções interrompeu a reabertura e novos limites foram estabelecidos para conter a propagação do vírus e aliviar a pressão sobre o sistema de saúde do país. O território com 5,5 milhões de habitantes enfrenta o pior momento desde o inicio da pandemia, com média diária de 2.600 casos e 12 mortes. No total, o pais teve 220 mil infectados e 511 óbitos.

 

*com informações Exame

foto: REUTERS/Caroline Chia/reprodução UOL

Compartilhar agora
X