CoronaVac reduz mortalidade de covid-19 em 97% no Uruguai, diz estudo; com Pfizer, queda é de 80%

Dados preliminares de um estudo que está em andamento revelou que o Uruguai vem apresentando reduções significativas, nas taxas de infecção e de mortalidade pela covid-19, após o início da imunização da população com as vacinas CoronaVac e Pfizer. A redução da mortalidade, decorridos mais de 14 dias desde a última dose da vacina, foi de 97% para Coronavac e 80% para Pfizer, informou a pesquisa do Ministério da Saúde Pública do país divulgada nesta sexta-feira (28).

 

O relatório indica que, do número total de 712.716 pessoas totalmente imunizadas com a CoronaVac até 25 de maio, 5.360 testaram positivo para o novo coronavírus. Destas, 19 precisaram de internação em UTI e seis faleceram. Da mesma forma, do total de 149.329 pessoas completamente imunizadas com a vacina da Pfizer até a mesma data, 691 foram infectadas, apenas uma necessitou de hospitalização na UTI e oito morreram. O relatório esclarece que, neste caso, todos tinham mais de 80 anos.

 

Em percentuais, a redução de casos com a vacina do laboratório chinês Sinovac é de 57% e com a Pfizer é de 75%. O relatório ainda observou uma eficácia de 95% para a CoronaVac e 99% para a Pfizer em hospitalizações em unidades de terapia intensiva. O estudo esclarece que os números são preliminares e “devem ser interpretados com cautela, pois não levam em consideração a idade das pessoas, suas comorbidades e grupos de alta exposição”, como os funcionários da saúde. Esses ajustes estatísticos serão comunicados em relatórios futuros. Atualmente, 47% da população já recebeu a primeira dose da vacina e 28% a segunda.

 

*com informações da Agence France-Presse

foto: Marcelo Pinto/APlateia

Compartilhar agora
X