Capacete criado no Ceará pode reduzir internações em UTI por Covid-19 em até 60%

Uma boa notícia para a luta diária contra a covid-19 acaba de chegar do Ceará, onde pesquisadores que buscavam alternativas para o tratamento de pacientes com insuficiência respiratória desenvolveram um mecanismo de respiração artificial não invasivo. Batizado de Elmo, o equipamento tem se mostrado eficaz na redução em 60% da necessidade de internação em UTI e a intubação de pacientes com a doença provocada pelo coronavírus.

 

O equipamento envolve a cabeça do paciente e é fixado no pescoço em uma base que veda a passagem de ar. Com a aplicação de oxigênio e ar comprimido, gera uma pressão positiva (em relação à pressão atmosférica) que ajuda pacientes com dificuldade de oxigenação. Por não depender de respiradores, tem um custo relativamente baixo – estimado entre R$ 1,2 mil e R$ 1,5 mil, e pode ser esterilizado e reutilizado em outros pacientes, além de aumentar a segurança dos profissionais de saúde, já que, por ser vedado, não permite a proliferação de partículas de vírus.

 

Recentemente, a Secretaria da Saúde do Ceará doou 65 Elmos ao Amazonas e capacitou profissionais da saúde para utilizá-lo em pacientes internados com a doença.

Compartilhar agora
X