BOAS NOTÍCIAS: Novo medicamento contra câncer de mama agressivo têm resultados positivos, diz Astrazeneca

Um medicamento desenvolvido para o tratamento contra o câncer, demonstrou ajudar significativamente as mulheres que sofrem de um tipo de tumor de mama que as deixa com opções de tratamento ruins, abrindo as portas para um grupo de pacientes em potencial muito maior. A Astrazeneca, que está trabalhando no medicamento com a empresa japonesa Daiichi Sankyo, disse que o Enhertu prolongou a sobrevida e retardou a progressão do câncer de mama metastático com baixos níveis de uma proteína conhecida como HER2.

 

A melhora foi “clinicamente significativa” quando comparada com a quimioterapia padrão, disse, acrescentando que os resultados detalhados do estudo em estágio final serão apresentados em uma conferência médica ainda não divulgada. A empresa disse que entraria em contato com agências reguladoras para permitir uma revisão rápida de um uso mais amplo do medicamento.

 

 

Embora o estudo tenha se limitado a pacientes com baixo HER2 cujos tumores se espalharam para outras partes do corpo, os analistas disseram que uma leitura positiva do teste poderia pressagiar o uso futuro em estágios anteriores da doença com potencialmente centenas de milhares de novos pacientes elegíveis por ano. Há três anos, o Enhertu demonstrou ajudar mulheres com câncer de mama metastático caracterizado por altos níveis de HER2 quando comparado ao Kadcyla, o medicamento da Roche da Suíça — o maior fabricante mundial de medicamentos contra o câncer.

 

Ensaios futuros testariam o Enhertu em mulheres durante os estágios iniciais da doença, tanto com HER2 alto quanto baixo, o que seria muito maior grupo de pacientes. O medicamento Herceptin, estabelecido pela Roche, também é baseado no receptor HER2, mas o Enhertu foi projetado para causar um impacto muito maior na morte de células, de modo que mesmo níveis baixos de HER2 permitam o tratamento. Com informações O Globo.

Compartilhar agora
X