Boa Notícias sobre o coronavírus para começar bem o final de semana

1 – Testes com vacina de Oxford ficam prontos em junho

 

Pesquisadores da Universidade de Oxford devem receber resultados da eficácia da vacina desenvolvida por eles contra o coronavírus em junho e começar a produção em setembro. A informação foi divulgada pelo professor de medicina da Universidade de Oxford, Sir John Bell, em entrevista ao programa “Today”, da Rádio 4, da BBC.

 

O projeto desenvolvido por equipes de pesquisa clínica do Jenner Institute da Universidade de Oxford e do Oxford Vaccine Group no Reino Unido, está em estágio mais avançado e pode surpreender.

 

Os pesquisadores começaram a trabalhar na vacina, conhecida como ChAdOx1 nCoV-19 (foto acima), em fevereiro e os testes em humanos começaram no final de abril. O médico disse que o desafio será a produção em grande escala, caso o resultado seja positivo: “Também queremos garantir que o resto do mundo esteja pronto para fazer esta vacina em larga escala para chegar às populações dos países em desenvolvimento, por exemplo, onde a necessidade é muito grande”, contou.

 

 

Prazo

A universidade disse que seu melhor cenário é obter um resultado de eficácia da fase 3 até o outono europeu, em setembro, juntamente com a capacidade de fabricar grandes quantidades da vacina, mas enfatizou que o prazo é “altamente ambicioso e sujeito a alterações”. Cientistas de Oxford disseram que a meta é produzir um milhão de doses da vacina até setembro. Mas o pesquisador chefe do estudo, Andrew Pollard, disse que é improvável que a vacina esteja disponível em “uma escala muito grande” antes do final de 2020.

 

Produção imediata

A universidade fechou uma parceria com a farmacêutica britânica AstraZeneca para acelerar a produção: “desenvolvimento adicional, manufatura em larga escala e distribuição potencial” da vacina, caso ela seja bem-sucedida. O acordo prevê que a gigante farmacêutica trabalhe com parceiros globais para distribuir internacionalmente a vacina.

 

 

2 – Sem pacientes, as luzes dos hospitais de campanha da Espanha se apagam

 

A Espanha, segundo país mais afetado no mundo pela Covid-19, tem muito o que comemorar. O país está vencendo a doença após dois meses muita luta e rígido distanciamento social, e o vídeo do apagar das luzes do hospital (antes lotado) simboliza a nova fase.

 

Nesta semana, o país registrou o menor índice de mortes em quase 60 dias. Enquanto isso, o número de infectados segue em declínio e o de recuperados disparou. Com isso, há uma tendência de queda que indica que o fim da pandemia na nação espanhola está se aproximando.

 

 

Um vídeo que tem simbolizado muito bem essa nova fase para os espanhóis mostra o apagar das luzes do pavilhão 7 do Hospital Temporário da Instituição de Feiras de Madrid, que chegou a ter 1.500 pessoas com coronavírus. Hoje, ele não é mais necessário e foi desativado.

 

Isso tem acontecido em todo o país: com menos pacientes, os hospitais de campanha estão sendo fechados. Com as boas notícias, o governo espanhol anunciou a retomada das atividades econômicas em quatro fases, que tiveram início na segunda-feira passada (4).

 

VEJA O VÍDEO:

 

Compartilhar agora
X