Boa notícia: vacina do Instituto Butantan contra a covid-19 poderá estar disponível em janeiro, diz João Dória

Os dias passam e um dos principais assuntos do momento continua sendo o mesmo: a tão esperada vacina contra a covid-19. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), há 166 potenciais vacinas em desenvolvimento, com 24 sendo testadas em humanos e algumas delas entrando no estágio avançado de estudos em milhares de pacientes.

 

Nesta segunda-feira (27), João Dória (PSDB), governador de São Paulo, deu uma previsão animadora sobre uma delas, que está sendo desenvolvida pelo Instituto Butantan, no Brasil, em parceria com a chinesa Sinovac. Segundo ele, a quantidade necessária para iniciar a imunização da população brasileira pode ser aplicada já no início de janeiro de 2021, gratuitamente, pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

 

 

O governador, em entrevista concedida à uma rádio paulista, declarou que a Coronavac deve obter autorização para distribuição da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) até os primeiros dias de dezembro, já que os testes da fase 3, realizados em 9 mil voluntários pelo país, devem ser concluídos já em outubro.

 

“Abril do ano que vem já teremos, com toda segurança, a imunização e a tranquilidade que as pessoas poderão celebrar festas, atividades, eventos musicais ou esportivos, sem risco para sua saúde ou sua vida”, disse Doria.

 

 

Vale ressaltar que a OMS disse na semana passada que as vacinas poderão ser aprovadas com mais rapidez após resultados de testes indicarem segurança na imunização. Caso os dados tenham informação suficiente para emitir registros, os testes sobre a eficácia e segurança das vacinas – um processo que geralmente leva anos – poderão ser acelerados para seis meses em meio à pandemia.

 

Embora os estudos estejam bastante avançados em todo o planeta, o prazo de 12 a 18 meses para liberação é um recorde a ser considerado, já que a vacina mais rápida já criada, a da caxumba, levou pelo menos quatro anos para ficar pronta.

 

Felizmente, boas notícias. Por enquanto, a população segue no aguardo, e deve continuar se cuidado.

Compartilhar agora
X