Bares, restaurantes e academias seguem sem previsão de reabertura em Petrolina

Petrolina retomou o plano de reabertura das atividades econômicas na última segunda-feira (27). A expectativa era de que o município pudesse avançar para a próxima etapa já na próxima semana, possibilitando assim que bares, restaurantes e academias pudessem voltar a abrir as portas. Entretanto, isso não aconteceu. É que o Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 em Pernambuco decidiu manter a Macrorregião IV, composta por municípios como Petrolina, Salgueiro e Araripina, na etapa 4 do plano estadual.

 

Situação diferente aconteceu com as cidades que integram a Macrorregião de Saúde II, composta por Caruaru e Garanhuns, por exemplo, que tiveram autorização para reabertura de bares e restaurantes, com 50% da capacidade e horário reduzido – de 6h às 20h – a partir da próxima segunda-feira (3). Academias de ginástica também voltarão a funcionar, seguindo novos protocolos de segurança.

 

A decisão do Governo de Pernambuco em manter Petrolina e outras cidades na Etapa 4 do plano de reabertura gerou revolta em alguns empresários, que justificam que cidades como Caruaru, por exemplo, que tem um quantitativo populacional semelhante a Petrolina (cerca de 12 mil a mais), possui números mais preocupantes. Dados de ontem, por exemplo, mostram que Caruaru possui quase 4,5 mil casos e 234 óbitos, enquanto Petrolina soma, nessa mesma data, quase 2,8 mil casos e 53 mortes pela doença.

 

Emerson Castro, empresário da Nord Haus em Juazeiro-BA e Haus Bier em Petrolina-PE, criticou a decisão do Governo do Estado e reforçou que muitos empresários já até investiram nos equipamentos que vão garantir a segurança de funcionários e clientes. O empresário reforçou que muitos já estão “no vermelho”.

 

“Estamos fechados desde o início da pandemia e qual a justificativa dessa decisão e a racionalidade disso? Os parques e o comércio abertos, e os restaurantes fechados. Se não voltar a reabrir logo, vamos ter que começar a demitir. Nós não vivemos do poder público, o poder público que vive da gente. Desde junho estamos na expectativa de retomada, nós já temos condições para isso. Solicitamos medidor de temperatura, tapete para os pés, cardápio reduzido e digital, maquinetas embaladas e rotina de esterilização, mas enquanto isso não acontece nós estamos no vermelho. Nós nunca tivemos saturação no sistema de saúde e os casos estão decaindo, os outros podem reabrir, mas nosso setor não”, disse em uma live no Instagram.

 

Vale ressaltar que na cidade vizinha de Juazeiro-BA, a previsão é que bares e restaurantes voltem a funcionar a partir do dia 10 de agosto. No caso de Petrolina essa decisão ainda é incerta, visto que o município depende do aval do Governo de Pernambuco.

 

Segundo o governo, a avaliação feita pelo Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 de Pernambuco é contínua e leva em consideração indicadores de saúde, como o número de casos registrados, óbitos, pressão sobre a rede hospitalar, entre outros fatores que contribuem para o planejamento de combate à pandemia. Essa análise permitirá, caso necessário, a implantação de medidas restritivas específicas e a possibilidade de recuo ou avanço das regiões na retomada das atividades econômicas.

Compartilhar agora
X