AINDA SEM SOLUÇÃO: Após resultado de novo inquérito, MPPE vai fazer investigação complementar no Caso Beatriz

Os quatro promotores de Justiça designados para acompanhar o inquérito do Caso Beatriz, decidiram que farão investigações complementares para tentar acabar com o mistério que envolve o crime, ocorrido há mais de seis anos em Petrolina. A Polícia Civil concluiu o inquérito, pela segunda vez, sem apontar nenhum suspeito pelo assassinato da menina Beatriz Angélica Mota. No dia 13 de dezembro de 2021, o resultado foi entregue ao Ministério Público Estadual (MPPE), que analisa o caso para dar início às novas diligências.

 

“O GACE (grupo de Atuação Conjunta Extraordinária) elaborou previamente um cronograma de eventual atuação investigativa complementar a da polícia, já apresentado e aprovado pelo procurador-geral de Justiça (Paulo Augusto de Freitas Oliveira), o que só poderá efetivar-se após concluída a análise dos autos do inquérito policial, que será realizada na maior brevidade possível, observando-se o esmero e a prioridade merecidas pelo caso”, explicou a assessoria do MPPE à coluna Ronda do Jornal do Commercio.

 

De acordo com a publicação, três promotores lotados em Petrolina, sob a coordenação de uma quarta promotora lotada no Recife, vão atuar nas novas diligências. Os pais de Beatriz lutam para que o caso seja federalizado, ou seja, passe para as mãos da Polícia Federal.

Compartilhar agora
X