“Acabei com a Lava Jato porque não tem mais corrupção”, diz Bolsonaro

Jair Bolsonaro disse ontem (7) que “acabou” com a operação Lava Jato porque, no governo atual, não há corrupção a ser investigada. O presidente elogiou a própria gestão, na qual, segundo ele, as pessoas são confiáveis e não há interessados em “criar dificuldade para vender facilidade”.

 

“Queria dizer a essa imprensa maravilhosa nossa que eu não quero acabar com a Lava-Jato… eu acabei com a Lava-Jato porque não tem mais corrupção no governo”, disse o presidente, sendo aplaudido pelos convidados. “Eu sei que isso não é virtude, é obrigação. Para nós, fazemos um governo de peito aberto”, acrescentou.

 

As forças-tarefa da operação Lava Jato são de responsabilidade do Ministério Público Federal (MPF), um órgão independente que não é subordinado ao governo federal. O atual chefe do MP é o procurador-geral da República, Augusto Aras. Bolsonaro vem sendo acusado de agir contra a Lava Jato desde o início do mandato. Foi ele quem nomeou Aras em 2019, forte opositor do modelo adotado pelo grupo de Curitiba (PR).

 

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, comentou a declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido): “As tentativas de acabar com a Lava Jato representam a volta da corrupção. É o triunfo da velha política e dos esquemas que destroem o Brasil e fragilizam a economia e a democracia. Esse filme é conhecido”, escreveu Moro nas redes sociais.

 

O ex-juiz era visto como um ícone da Operação Lava Jato, especialmente por opositores do PT. Foi Moro quem mandou prender o ex-presidente Lula. A escolha dele para ocupar o ministério da Justiça foi uma maneira de Bolsonaro mostrar o compromisso no combate à corrupção.

 

“Valerá a pena se transformar em uma criatura do pântano pelo poder?”, questionou Moro.

Compartilhar agora
X