Tomou a 1ª dose da AstraZeneca e teve reações? Especialistas dizem o que pode acontecer na segunda aplicação; confira

Febre, calafrios e dor no corpo e de cabeça. A maioria das pessoas que foram imunizadas contra a covid-19 com a vacina da AstraZeneca, relataram ao menos algum desses sintomas. Mas e a segunda dose? Ela também vai provocar os mesmos efeitos adversos? A própria bula da farmacêutica responde: “a vacina pode causar efeitos colaterais, apesar de nem todas as pessoas os apresentarem. Menos efeitos colaterais foram relatados após a segunda dose”. E isso tem relação com a tecnologia da vacina da AstraZeneca: a de vetor viral.

 

A vacina é feita com o vírus ativo, mas ele não é capaz de causar a doença porque ele é modificado. Entretanto, por estar ativo, ele induz uma reação imunológica muito forte e parte dessa reação é a inflamação. O cientista Oscar Bruna-Romero, professor de doenças infecciosas e vacinas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), explica que a vacina induz no nosso organismo um treinamento muito específico e intenso, e que, da primeira vez que recebemos esse treinamento, “é como se tivéssemos uma infecção, o nosso corpo pensa que está sendo infectado, mas não está”, por nisso nesse primeiro momento a reação é mais intensa.

 

O cientista explica que, na segunda dose, “o corpo já treinou o sistema imunológico para responder à ‘infecção’ de uma forma suficiente, não excessiva”. Assim, caso a pessoa sinta algum efeito adverso também na segunda dose, ela pode tomar um analgésico, assim como da primeira vez. Segundo o cientista da UFSC, não ter reação pode significar muitas coisas, mas em nenhum caso quer dizer que você não foi vacinado.

 

*com informações do G1

foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Compartilhar agora
X