Sara Winter foi presa pela Polícia Federal por investigações sobre atos antidemocráticos. Veja:

A Polícia Federal (PF) prendeu, nesta segunda-feira (15), Sara Fernanda Giromini, conhecida como Sara Winter, líder do grupo ‘300 do Brasil’. A prisão foi feita a pedido da Procuradoria-Geral da República e autorizada pelo Supremo Tribunal Federal no âmbito de inquérito que investiga ataques antidemocráticos. A defesa diz não ter conhecimento sobre o motivo da prisão.

 

A PF também cumpre mandado de prisão de mais outras cinco pessoas por exercerem esses atos antidemocráticos. A ação acontece após o ato da noite de sábado (13) em que manifestantes atiraram fogos de artifício em direção ao STF simulando um bombardeio. Segundo a investigação do caso, eles são suspeitos de organizar e captar recursos para atos antidemocráticos, e de crimes contra a Lei de Segurança Nacional.

 

O grupo 300 do Brasil se define como militância organizada de direita. Ele foi responsável por um acampamento montado na Esplanada no início de maio e desmobilizado no último fim de semana. Em uma entrevista à BBC Brasil, Sara reconheceu a existência de armas entre os ativistas. “Em nosso grupo, existem membros que são CACs (sigla para Colecionador, Atirador e Caçador), outros que possuem armas devidamente registradas nos órgãos competentes. Essas armas servem para a proteção dos próprios membros do acampamento e nada têm a ver com nossa militância“, afirmou na ocasião.

 

Vale lembrar que Sara Winter também é investigada no inquérito das fake news do STF e foi alvo de mandado de busca e apreensão em operação da PF em maio.

Compartilhar agora
X