Salvador precisa vacinar 90% da população para ter Carnaval seguro, diz Fiocruz

Para que o Carnaval de Salvador aconteça com segurança é preciso que 90% da população esteja completamente imunizada e que os números da pandemia reduzam, segundo o Instituto Gonçalo Moniz (Fiocruz-Bahia). As recomendações foram enviados para a audiência pública da Câmara Municipal que debateu, nesta terça-feira (23), a possibilidade de realização da festa. Apesar disso, o Instituo disse que o anúncio da folia pode ser positivo.

 

“A primeira questão é que tudo dependerá do cenário no período que antecede o Carnaval, a partir de janeiro. Embora o cenário no Brasil esteja melhorando, não temos nenhuma garantia de que irá permanecer do mesmo modo, como está ocorrendo agora na Europa. Há ainda muitas incertezas e tudo dependerá da evolução da pandemia nos próximos meses”, diz o documento, que cita as festas de fim ano como termômetro para a pandemia.

 

A carta afirma que a orientação tem sido de vacinar 80% da população para que haja segurança, mas que eventos como o Carnaval exigem ainda mais cuidados. “Considerando que o Carnaval é um evento de massa, com muitas aglomerações e circulação de pessoas, de outros estados e países, consideramos muito importante que a vacinação tenha avançado mais ainda, com pelo menos 90%”, diz. Apesar das ressalvas, a Fiocruz acredita que anunciar a realização da folia e a exigência do passaporte da vacina pode ajudar a intensificar a vacinação.

 

*com informações do Correio da Bahia

Compartilhar agora
X