Saiba mais sobre a trombose, doença que a cantora Anitta foi diagnosticada:

Nesta quinta feria (25) a cantora Anitta foi internada após a descoberta de uma trombose ainda na fase inicial, após exames rotineiros de check-up. Trouxemos abaixo algumas informações importantes sobre essa doença: sintomas, prevenção e tratamento.

 

A trombose ocorre quando há formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias grandes das pernas e das coxas. Esse coágulo bloqueia o fluxo de sangue e causa inchaço e dor na região. Ocorre, geralmente, após cirurgia, corte ou falta de movimento por muito tempo, sendo mais frequente após procedimentos cirúrgicos ortopédicos, oncológicos e ginecológicos. O problema maior é quando um coágulo se desprende e se movimenta na corrente sanguínea, em um processo chamado de embolia. Uma embolia pode ficar presa no cérebro, nos pulmões, no coração ou em outra área, levando a lesões graves.

 

Apesar de ser um problema que geralmente afeta mais mulheres, homens também podem ter trombose. Em números, quando é avaliada apenas a faixa entre 20 a 40 anos, a incidência de trombose é um pouco maior nas mulheres pela maior exposição a fatores de risco, como anticoncepcionais e gestações.

 

A trombose pode ser classificada de duas formas:

 

  • Trombose aguda: Na maioria das vezes, é solucionada naturalmente. O próprio corpo utiliza de mecanismos para dissolver os coágulos que provocam o entupimento das veias, sem deixar sequelas e sem evoluir para quadros mais graves.
  • Trombose crônica: Ocorre quando, durante o processo de dissolução do coágulo natural, ficam sequelas no interior das veias, destruindo a estrutura das válvulas. Por conta dessas alterações nas válvulas, o retorno do sangue fica prejudicado e leva ao aparecimento de inchaço, varizes, escurecimento e endurecimento da pele, além de feridas e outras complicações.

 

Os pacientes submetidos a cirurgias de joelho, quadril e trauma (como fraturas) são os principais grupos de risco. A trombose que pode ocorrer após uma cirurgia ortopédica é geralmente localizada nas pernas, provocando entupimento da veia, causando dor e inchaço. Às vezes coágulos podem se soltar, viajando pelo sangue até ‘encalhar’ no pulmão, o que é chamado de embolia pulmonar. Essa condição, que provoca uma súbita falta de ar, pode ser bastante grave e exige atendimento imediato. Sinais claros podem indicar o desenvolvimento de coágulos sanguíneos (trombose):

 

  • Uma dor diferente da dor da cirurgia
  • Vermelhidão ao longo da perna (que aparece de repente ou inchaço que está piorando)
  • Inchaço na perna (que apareceu de repente ou inchaço que está piorando)
  • Aumento da temperatura (calor) da perna que está doendo
  • Respiração curta e rápida e palpitações, podendo acontecer algum desmaio
  • Tosse com sangue
  • Dor no peito ou nas costas (que não é comum)

 

É possível prevenir a doença. Além do acompanhamento médico, qualquer pessoa pode tomar medidas de prevenção. Muitas delas podem ser incorporadas no cotidiano. Algumas das dicas são: Ingerir muito líquido; exercitar-se ou fazer pequenas caminhadas regularmente; controlar o peso; evitar o cigarro; movimentar as pernas durante longos períodos sentado; usar meias elásticas no caso de insuficiência venosa, sempre com orientação médica. Pequenos cuidados podem contribuir na prevenção, tanto pós-cirurgia como no cotidiano. Por isso, é fundamental manter-se em movimento, se possível, fazer atividades físicas rotineiramente.

 

A trombose venosa profunda pode ser absolutamente assintomática. Quando presentes, os principais sintomas são nessa forma da doença são a dor, calor, vermelhidão e rigidez da musculatura na região em que se formou o trombo. Por isso, diante de qualquer dúvida consulte o seu médico especialista.

 

Fonte: Ministério da Saúde

Compartilhar agora
X