Risco de morte por Covid é 57 vezes maior do que reação grave à vacina, diz estudo inédito

O risco de um pessoa morrer em decorrência do novo coronavírus é 56,6 vezes maior do que apresentar um evento adverso grave (EAG) em reação à vacina contra a doença. Já em caso de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave, o risco é 257 vezes maior. Os dados constam em boletim epidemiológico especial do Ministério da Saúde, que avaliou a vacinação no país entre 18 de janeiro e 25 de outubro.

 

No Brasil, a incidência de EAG é de 5,1 a cada 100 mil doses aplicadas, ou seja, 0,005% do total de imunizantes usados até agora. Entre 2020 e 2021, houve 2.775.666 internações, segundo o boletim, e a mortalidade por Covid foi de 288,6 a cada 100 mil. Assim, 1,3% da população brasileira — 1.310 a cada 100 mil habitantes — foi internada ou evoluiu para óbito até o momento.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, esses dados são “conservadores, tendo em vista que parte expressiva dos EAG notificados não possuem qualquer relação causal com a vacinação”. Dos 9.896 casos adversos graves relatados, em 35,7% foi descartada a relação causal com a vacina.

 

*com informações do Metrópoles

Compartilhar agora
X