“Quero que os jovens de escola pública vejam um futuro possível”, estudante quilombola passa em medicina após oito anos consecutivos prestando vestibular

Recentemente o estudante quilombola Matheus Moreira, de 26 anos, repercutiu nas redes sociais após conseguir usar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para cursar medicina na Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB). Moreira passou por um caminho árduo até a aprovação: tentou durante oito anos consecutivos estudando em casa, na comunidade quilombola Antônio Cardoso, no Sertão da Bahia, sem energia elétrica e incentivos. A história do jovem virou sinônimo de superação e incentivo para outros estudantes com o mesmo sonho.

 

Atualmente a sua página no Instagram já passa dos 70 mil seguidores e se tornou um espaço onde ele cria conteúdo para incentivar outras pessoas. Porém, em entrevista ao Estadão, Moreira afirmou estar feliz pela repercussão, mas não gostaria de ter passado por tantas dificuldades para conquistar o seu objetivo. “Romantizar a pobreza é muito triste. Fiquei oito anos, estudei numa casa que só tinha água, sem luz, sem internet, como posso me comparar com um estudante que tem todas as facilidades? Eu trabalhava dando aula e depois ia para a biblioteca ficar lá até fechar. Como poderei ser comparado aos meus colegas na faculdade que fizeram cursinhos caríssimos? Quero que os jovens de escola pública que me acompanham e se inspiram em mim vejam um futuro possível através da educação.”, disse.

 

O futuro médico está lançando o Manual de Redação Quase Mil para custear a mudança e o primeiro semestre de aluguel em Cruz das Almas/BA, cidade onde fica a universidade que ele vai cursar medicina. A história emocionou muitas pessoas anônimas e famosas como a atriz Thaís Araújo que está ajudando, por meio das redes sociais, na divulgação do livro e também o time do coração de Moreira, o Esporte Clube Bahia, entrou na mobilização.

 

Foto: Mayana Carvalho

Compartilhar agora
X