Pequim, na China, reativa restrições e Japão emite alerta de segunda onda de Covid-19, confira:

Vários distritos de Pequim montaram postos de verificação, fecharam escolas e ordenaram que as pessoas passem por exames do novo coronavírus nesta segunda-feira (15), após uma disparada inesperada de casos ligados ao maior mercado atacadista de alimentos da Ásia. Depois de quase dois meses sem infecções novas, autoridades de Pequim relataram 79 casos nos últimos quatro dias, o maior foco de infecções desde fevereiro.

 

A volta do novo coronavírus mergulhou Pequim, sede de grandes corporações, na incerteza no momento em que a China tenta espantar os problemas econômicos causados pela doença. O surto foi localizado no amplo mercado de Xinfadi, onde milhares de toneladas de vegetais, frutas e carne trocam de mãos todos os dias. Um complexo de armazéns e centros comerciais, que se estende por uma área quase igual a 160 campos de futebol, Xinfadi é quase 20 vezes maior do que o mercado de frutos do mar da cidade de Wuhan, onde o surto foi identificado.

 

Os casos novos fizeram com que autoridades de muitas partes de Pequim reinstaurassem medidas duras para conter a disseminação do vírus, como postos de verificação 24 horas, o fechamento de escolas e centros esportivos e a retomada das medições de temperatura em shoppings centers, supermercados e escritórios. Os moradores da capital também foram aconselhados a evitar multidões e agrupamentos ao se alimentarem.

 

No Japão, o premiê japonês Abe Shinzo alertou a população para uma segunda onda de surto do coronavírus no país. Ele pediu para que as pessoas não contem com um enfraquecimento do vírus com a chegada dos meses quentes do verão. Abe fez a declaração durante um programa transmitido ao vivo pela televisão. Ele disse que as pessoas não devem ser complacentes neste verão, já que o vírus está se espalhando mesmo em países do Oriente Médio, que sofrem com temperaturas extremamente altas.

 

O primeiro-ministro reforçou a necessidade de se preparar para a segunda onda do surto, aumentando o sistema de saúde e aumentando o número de testes. Abe disse ainda que restrições a viagens internacionais serão gradualmente suspensas, ao mesmo tempo em que medidas de contenção ao vírus serão implementadas. Segundo o premiê, o governo irá analisar minuciosamente a possibilidade de afrouxamento das restrições, levando em consideração a situação do vírus em cada país separadamente.

 

Abe disse que continuam em andamento no Japão pesquisas para o desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus, ao mesmo tempo em que os Estados Unidos e Reino Unido também mantêm seus esforços para o desenvolvimento de uma vacina. Ele disse ainda que o Japão já está realizando conversações com fabricantes de vacinas para garantir o acesso ao produto assim que as pesquisas sejam finalizadas. (Informações da Agência Brasil)

Compartilhar agora
X