OH, NO: Conflito na Ucrânia pode encarecer pão francês no Brasil

Uma notícia que vai atingir o bolso diretamente de quem não dispensa um bom pãozinho. O confronto que envolve Rússia e Ucrânia deve gerar consequências que vão impactar produtos básicos do nosso dia a dia, como é o caso do pão. O por quê? O trigo que é produzido nos dois países, é importado pelo Brasil. A alta no barril do petróleo pode impactar também nesta situação.

 

Existe uma incerteza sobre o percentual da alta e isso depende do tempo de duração desse conflito. O dólar também deve ser levado em conta, partindo do princípio do comportamento da moeda. Após recuar a R$ 5 na quarta-feira, 23, o dólar subiu a R$ 5,10 nesta quinta, 24. De acordo com a Associação Brasileira das Indústrias de Trigo (Abitrigo), o Brasil é um dos maiores importadores do produto no mundo, sendo assim precisa buscar em outros países, especialmente a Argentina, 60% do que consome.

 

De acordo com a entidade, a previsão é que nos próximos quatro ou cinco meses o preço continue subindo, para estabilizar ou cair a partir de julho/agosto, quando começará a entrar a safra do hemisfério norte. A associação não prevê a possibilidade de desabastecimento nos próximos meses, pois as negociações da atual safra já foram efetuadas. Outro problema que pode encarecer o trigo –e outras culturas– é a incerteza em relação aos fertilizantes. A Rússia está entre os maiores produtores de cloreto de potássio e outros produtos nitrogenados para fertilizantes.

 

O setor de panificação projeta que os aumentos que já têm ocorrido nos últimos meses vão seguir, mas ainda por efeito da oscilação cambial, não da guerra. O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada afirma que, embora os países envolvidos diretamente na guerra sejam Rússia e Ucrânia, os preços da Argentina vão subir, o que impacta no Brasil. As informações são do A Tarde.

Compartilhar agora
X