NEM LULA, NEM BOLSONARO: Mandetta sugere ‘polo democrático para o Brasil’ contra os dois

A polarização entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que recuperou seus direitos políticos após decisão do STF de anular os processos e declarar Sérgio Moro suspeito, foi criticada pelo ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em entrevista concedida à Rádio Folha 96,7 FM, nesta quinta-feira (25). Com nome colocado como um dos possíveis pré-candidatos em 2022, ele sugeriu a criação de um “polo democrático como alternativa ao Brasil”.

 

Em relação à confirmação do seu nome como pré-candidato, ele procurou ser cauteloso. “O que a gente tem hoje é um chamado”, dizendo que existem alternativas para o que chamou de “polos populistas”, se referindo ao atual presidente e a Lula. “Esses dois polos já estão colocados. O que a gente está querendo não é um polo de Lula contra o polo Bolsonaro. É um polo democrático para o Brasil, composto por todas as pessoas que entendem que a gente vai ter que reunificar o País. Num polo desses dois, o Brasil perde”, avaliou.

 

Contudo, Mandetta preferiu não antecipar seu nome como sendo o representante dessa terceira via, “no momento certo, quem for o melhor nome” terá o seu apoio, caso não seja ele próprio, garantiu.

Compartilhar agora
X