“Não vou parar, vou até o fim, custe o que custar”, diz Lucinha Mota sobre resolução do Caso Beatriz

“Se a polícia não colaborar com os americanos, com a família, vamos realizar outro manifesto em frente ao Palácio do Campo das Princesas. Eu não vou parar, vou até o fim, custe o que custar. Tenho esse apoio internacional, pode ter certeza que nós vamos até o fim. Nós estamos fortes”, disse Lucinha Mota, mãe da garota Beatriz Angélica, em tom de desabafo, em entrevista à Rádio Jornal Petrolina nesta segunda-feira (31).

 

A mãe da garota, que foi assassinada com mais de 40 facadas dentro do Colégio Nossa Senhora Maria Auxiliadora, em Petrolina, durante uma festa de formatura em dezembro de 2015, voltou a criticar o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB). “O governador só recebe políticos em plena campanha eleitoral. É muito frustrante, fui recebida pelo Eduardo Figueiredo. Foi ele que articulou essa reunião que aconteceu na última sexta-feira”, revelou.

 

Esperançosa, Lucinha pediu a ajuda da população para que compartilhem o novo retrato falado do suspeito do crime, feito com apoio de uma empresa americana de investigação que se interessou pelo caso e utilizou dos melhores recursos tecnológicos para chegar a uma imagem mais próxima possível do principal suspeito. Os números para denúncias são (81) 9 8256-4545 e (87) 9 8168-1496. Há uma recompensa de R$ 30 mil para quem ajudar e o anonimato é garantido ao denunciante.

 

foto: reprodução/Instagram

Compartilhar agora
X