Ministro da Agricultura participou de evento em Juazeiro e pautou o fortalecimento da Agricultura Familiar no Semiárido

 

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes, participou do evento “Agronordeste, perspectivas e resultados para o Semiárido” na última quinta-feira (20), em Juazeiro. O encontro ocorreu no auditório do Centro de Excelência em Fruticultura/Senar e teve a participação de órgãos vinculados ao tema.

 

Também contou com a presença de instituições parceiras do programa como a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), o Banco do Nordeste (BNB) e o Banco do Brasil.

 

O Plano AgroNordeste foi lançado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em 2019, para impulsionar, por meio da integração de ações e políticas públicas, o desenvolvimento econômico, social e sustentável da Região Nordeste e do norte de Minas Gerais e Espírito Santo. Com o intuito de fortalecer as cadeias produtivas, ampliar o potencial de sucesso dos agricultores familiares da zona semiárida.

  

Muitos agricultores, representantes de pequenas associações e da fruticultura do Vale do São Francisco também compareceram ao evento. O ministro Marcos Montes e os parceiros do programa apresentaram os resultados do programa e assinaram vários contratos de financiamento, atendendo a vários setores produtivos da agricultura familiar.

 

“O que estamos vendo hoje é a confirmação do nosso trabalho voltado a fortalecer a agricultura familiar. Desde 2019 já atendemos mais de 30 mil agricultores, nós vamos avançar e com certeza esse número chegará a mais de cem mil nos próximos anos”, declarou o ministro.

 

Em três anos, o Agronordeste promoveu ações de assistência técnica, capacitação, apoio à inovação e ao empreendedorismo, crédito, organização e formalização da produção, impactando a atividade de cerca de 30 mil pequenos e médios agricultores

 

Na Bahia, o AgroNordeste atua em três territórios: Irecê, nas cadeias produtivas de olericultura e caprinovinocultura; Jacobina, nas cadeias produtivas de bovinocultura de leite e caprinovinocultura e Feira de Santana, nas cadeias produtivas de bovinocultura de leite e caprinovinocultura. Além disso, em Juazeiro, o Mapa, em parceria com o BID, desenvolve projeto de criação da área livre da mosca das frutas no Vale do São Francisco, beneficiando 3.500 fruticultores.

 

 

Foto: Reprodução PMJ

Compartilhar agora