Maio registra recorde de distribuição de doses de vacinas contra covid-19 no Brasil, mas junho tem previsão reduzida, diz Saúde

O Ministério da Saúde distribuiu mais de 33 milhões de doses da vacina contra a covid-19 em maio, número que representa um recorde mensal no envio de vacinas para todos os estados e Distrito Federal desde janeiro, quando começou a vacinação no país. O recorde será alcançado nesta semana, com a distribuição de mais 6,7 milhões de doses distribuídas pela pasta para todo o Brasil.

 

“Isso é um marco no avanço do ritmo na campanha de vacinação do país. Estamos comprometidos para vacinar toda a população até o fim do ano”, afirma o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. O novo lote contém 6,1 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e outras 609 mil doses da Pfizer/BioNTech. A previsão é de que os estados e Distrito Federal comecem a receber as vacinas nas próximas 48 horas.

 

Junho – Apesar disso, o cronograma de entregas de vacina do Ministério da Saúde para o mês de junho prevê a entrega de 43,8 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19, quantidade cerca de 35,8% a mais do que a cota recebida em maio, mas 16% menor do que a previsão divulgada na semana passada. O principal desfalque ocorre na produção da Fiocruz (Oxford-AstraZeneca) que inicialmente previa 34,2 milhões de doses, mas caiu para 20,9 milhões. O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, disse que a Fiocruz informou que a redução na produção ocorreu devido ao atraso no recebimento de insumos da China para o envase do imunizante.

 

foto: Tony Winston/MS

Compartilhar agora
X