GIRO POLÍTICO: Roberto Carlos muda de partido, racha nos coelhos e Marília Arraes recebe apoio de Júlio Lóssio Filho; veja nossa coluna

Mudanças políticas estão agitando os bastidores da Bahia e do Pernambuco para as próximas eleições. A pré-candidata ao Governo de Pernambuco, Marília Arraes, está em busca de um vice para formar chapa. Segundo informações de bastidores, Arraes está conversando com o ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio. O filho de Lóssio e pré-candidato a deputado estadual por Pernambuco, Júlio Lóssio Filho, anunciou na quinta-feira (31/03), que trocou o Partido Social Democrático (PSD) pelo Solidariedade (SD), para caminhar ao lado da deputada federal. O nome foi escolhido para liderar o projeto no Sertão do São Francisco para dificultar o discurso sertanejo de Miguel Coelho que também vai se candidatar ao governo do estado.

 

Ainda em Pernambuco, com a saída de Miguel Coelho, algumas movimentações políticas já estão acontecendo na cidade. Exonerações publicadas no Diário Oficial do Município da última sexta-feira (1º) sinalizam, inclusive, uma possível nova racha da família Coelho após fatos políticos que ganharam a imprensa. O primeiro dia do mês de abril foi marcado pelo ex-prefeito Guilherme Coelho anunciando que permanecerá em seu atual partido: o PSDB. Dessa forma, vai apoiar a candidatura de Raquel Lyra, da mesma sigla, ex-prefeita de Caruaru, que também entrará na disputa pelo Estado. Pré-candidato a deputado federal, ele havia anunciado publicamente no final do ano passado a possibilidade de mudar de partido para apoiar Miguel Coelho.

 

“Sou do PSDB há alguns anos, levado pelo governador Geraldo Alckmin, mas hoje tenho alinhamento com Miguel Coelho. Admiro trocar de partido, mas estou conversando. A política é dinâmica. Nós temos tempo e eu vou usar esse tempo”, disse Guilherme à Folha PE. O prefeito de Petrolina, Simão Durando (União Brasil), disse ter recebido com surpresa o pronunciamento do ex-deputado Guilherme Coelho. “Respeitamos a posição e a história de Guilherme Coelho, porém, discordamos de sua decisão. Estivemos juntos nos últimos anos, construindo um projeto que propiciou a verdadeira transformação em Petrolina. Porém, Guilherme preferiu priorizar outros interesses”, disse Durando em nota enviada à imprensa.

 

Na Bahia as movimentações também estão acontecendo. O deputado estadual Roberto Carlos deixou o PDT, onde construiu uma história de 32 anos, para se filiar ao Partido Verde. O ato de filiação aconteceu na última sexta-feira (1º), na sede do PV em Salvador e contou com a presença dos dirigentes do Partido Verde incluindo o presidente da legenda na Bahia, Ivanilson Gomes, e o ex-deputado federal e ex-ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte. “Estou entrando no Partido Verde para fazer história, como fiz no PDT, por 32 anos, meu primeiro e único partido. O PV será meu segundo partido e chego com a disposição de construir novos caminhos para o PV seguindo sua caminhada de resistência, de lutar pelo verde, pelo Meio Ambiente e fazer história como fiz no PDT”, disse.

Compartilhar agora
X